domingo, 21 de janeiro de 2018

O sol e sua febre guardiã

Dormir doente a tarde saudável toda
numa cidade estrangeira não é perda
alguma se a vó de todos a sol segue
aquecendo sua filha até as aspirinas
são infrequentes como febres as férias
estas dores nos tecidos fibras lembram-me
que meus músculos se não fotogênicos
merecem eles próprios analgésicos sóis
em louvor da febre encho de água o copo
e a água treme dentro do copo que treme
dentro da mão que treme dentro de si e do mundo
enquanto o comprimido fervilha eu febricito
só me resta adorar que as coisas tremam
dentro de coisas que tremem isso é bom
a prova simples da solidariedade de tudo

/

Gante, Bélgica - tarde febril de 17 de janeiro de 2018.

.
.
.

Nenhum comentário:

Arquivo do blog