sexta-feira, 29 de dezembro de 2017

Texto em que o poeta convida Maximin a descolonizar-se consigo

ketefa uake kigefa uake
ketefa uake
ketefa uake kigefa uake
ketefa uake
ufisü heke ukilü
tüfüninhü heke ukilü

(tolo [canção feminina] kuikuro)

:

-- vá comigo, venha comigo
vá comigo
eu disse para o meu amado
eu disse para o precioso

(tradução de Bruna Franchetto)




na hélice dupla
de tua espiral
ascendem
e descendem

feito escada
de novos jacós
as instruções
de manual

à perfeitura
dos teus
ossos & corpos
ah cavernosos
nuca clavícula
cachos carpos
pele e pelos

não advêm
eles também
de gentes
por séculos
sem
passaportes?

dos berberes
e dos judeus
das tradições orais
aos povos do livro?

ah Maximin
já não quero
nem haikus
nem trovas
nem liras

quero cantar
com mulheres
kuikuro
subindo a dupla
hélice das
matriarcas
a mim doada
de forma
helicóptera
por minha mãevó
a cabocla

e eu
eu não
mamei louca?

ai ai
meu bebê berbere meu
bichinho de estimação
meu teutojudeujudoca
meu desnudo gorilinha

és a estimativa
de quanto de mim
é-se bicho

vem Maximin
vem e lambe de mim o cheiro
de Rexona
vem Maximin
vem e lambe de mim o cheiro
de Axe
vem Maximin
vem e lambe de mim o cheiro
de Dove

na virilha sim
nas axilas sim

das tuas as glabras
e peludas as minhas

nas dobras
dos joelhos
que se dobram
para o encaixe
ante tuas rótulas

já não quero
nem haikus
nem trovas
nem liras
quero tolo meu tolo

§

Berlim, 29 de dezembro de 2017, novo poeminha para o livro Odes a Maximin
(work in progress, ou "cuidado com a cabeça, livro em obras)

.
.
.

quinta-feira, 28 de dezembro de 2017

Leite



Já não adianta
chorar pelo leite
mamado, querido,
seu cálcio
está agora nos ossos
que suportam
a geringonça
pelas calçadas.
Cheguei a esta idade
em que se tira o suéter
e dobra-se-o diligente
para agasalhar
a gaveta. Deixar
em ordem as reações
passíveis e possíveis
ao clima desordenado
contra o meu armário
de órgãos falíveis.
Que se dissolva
este calor
que foi da sol,
coletado por plantas,
então de herbívoros
e a mim chegou-me,
dádiva de empréstimo.
Tomo
a água e aguo
o copo.
Cozo a couve
e lavo a louça.
A casa está agora
limpa sempre
caso chegue, hóspede.
O desejado. O indesejado.
Puídos estão os lençóis
mas sem sinais de infecções.
Ainda que seja chegado
esse tempo, essa idade,
esse clima imprevisível
em que tão bem se sabe
que ao deus-dará
jamais foi ou será
promessa de holerite
em dia fixo do mês.

§

Berlim, 24 de dezembro de 2017
(ou o Ano de Nossa Senhora da Catástrofe 517)

.
.
.

terça-feira, 19 de dezembro de 2017

Pricísu tidizê

apesar de tudo
e todos a pesar
apesar de nada
peso o abusar
ai meu zizus

essa coisa
esse trem
brasileiroa
falaresse
iorubantuportujês
ser-se o cerceio
di-si-i-d'ôtro
qui desgraça
qui delícia
entre bigatos
e os caquis
ai desdiliça
ui deligraça
nascer aquiaí
é-se
filhadaputice
duma disgrama
de azedoce

§

No Ano de Nossa Senhora da Catástrofe 517,
Berlim, 20 de dezembro.

§


. . .

Arquivo do blog